Overview

Biografia

ilhéus_ ba_ 1961_ vive e trabalha em são paulo

www.georgiakyriakakis.com.br

Geórgia Kyriakakis é formada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Alvares Penteado, mestre e doutora em Artes pela Universidade de São Paulo. Leciona desde 1997 na Faculdade de Artes Plásticas da FAAP e no Centro Universitário Belas Artes, onde também atua na pós-graduação. Expõe regularmente desde 1986, em mostras coletivas e individuais, tendo recebido diversos prêmios desde então. Dentre eles, destacam-se: Prêmio Funarte de Arte Contemporânea (2012); Bolsa Vitae de Artes (2002); Prêmio “O Artista Pesquisador” do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (2001); Prêmio Brasília de Artes Plásticas (1992), entre outros.

Entre as exposições mais representativas estão: “Experimentando Espaços”, no Museu da Casa Brasileira (2014); “Meridianas”, na Funarte (2013); “Picada”, no Sesc Pompéia (2012); “Coordenadas”, no Espaço ECCO (2011); “Paralela” (2010); “Estética Solidária”, na Fundação Abraço (Lisboa, 2009); “Parangolé – Fragmentos desde los 90”, no Museo Pateo Herreriano (Espanha, 2008); “A Ultima Casa – A Ultima Paisagem”, na Matias Brotas (Vitória, 2007); “São Paulo – 450 Anos – Paris”, no Instituto Tomie Ohtake (2004); “Heterodoxia”, na Galeria Artco (Lima, 2004); “Caminhos do Contemporâneo”, no Paço Imperial (2001); “Arte-cidade III” (São Paulo, 1997); as exposições “Beelden uit Brazilie”, no Stedelijk Museum de Schiedam, e “De Huit Van Witte Dame”, (ambas na Holanda, 1996); 23a Bienal Internacional de São Paulo (1996); “Espelhos e Sombras”, MAM/SP (1994) e CCBB/RJ (1995), entre outras.

currículo

Exposições

Publicações

Geórgia Kyriakakis

Geórgia Kyriakakis

Empena o Amparo

'Empena o amparo', de Geórgia Kyriakakis, apresenta a trajetória da artista de 2009 a 2017. São 272 páginas, com 175 ilustrações coloridas, nas quais podem ser vistas 30 séries de trabalhos, entre desenhos, esculturas, fotografias e instalações, e 15 exposições, individuais e coletivas. O livro contém também croquis, maquetes e diversos tipos de anotação da artista, permitindo o acesso a uma etapa do processo de criação, geralmente inacessível ao público, mesmo àquele familiarizado com a obra dessa importante artista brasileira. O livro traz uma conversa de Geórgia com o crítico e curador Cauê Alves, realizada em 2018 no ateliê da artista, além de seis outros textos críticos, escritos por Paula Braga, David Barro, entre outros autores, por ocasião de exposições individuais realizadas durante o período. Uma cronologia e uma bibliografia para pesquisa completam o conteúdo do livro.

Vídeos