WALTERCIO CALDAS | READY MADE IN BRASIL

Curadoria de Daniel Rangel

Em 2017, Fountain (Fonte, 1917), obra ícone de Marcel Duchamp, completa 100 anos desde que foi apresentada, de forma anônima, como um objeto de arte no importante Salão dos Artistas Independentes de Nova York.  Anos antes, Duchamp já havia introduzido o conceito de readymade para classificar alguns de seus trabalhos, cuja proposta consistia na apropriação de objetos comuns, sem um valor estético específico, como obras de arte, deslocadas para o espaço expositivo. O readymade pode ser compreendido como um gesto, uma ferramenta ou ação duchampiana, que busca questionar o próprio sistema de arte vigente, e, para alguns teóricos, Fonte (1917) é o principal ponto de virada (turning point) da arte produzida até os dias atuais.

Entre os anos de 1960, a partir dos (pop)concretos e neoconcretos, o readymade é introduzido no Brasil e, desde então, está presente na produção de todas as gerações seguintes de artistas, que frequentemente recorrem ao procedimento duchampiano para realizar suas criações.  A exposição busca criar uma espécie de linha do tempo desta presença nas diferentes gerações de artistas a partir da inserção de trabalhos históricos e icônicos de diferentes períodos. Trata-se de uma celebração do centenário da obra ícone de Duchamp, do readymade, da apropriação e do principal legado duchampiano para todos os que trabalham no meio das artes: a liberdade.

 

Exposição

10 de outubro de 2017 a 28 de janeiro de 2018

Diariamente, das 10h às 20h

 

CENTRO CULTURAL FIESP

Galeria de Arte

Avenida Paulista, 1313

Tags: walterciowaltercio-caldas